terça-feira, 8 de abril de 2014

segunda-feira, 31 de março de 2014

and that's how I frame things since (at least) 1989

https://www.youtube.com/watch?v=7YwanhOHduA
Era só o que eu queria.

Não parecia nada impossível 25 anos atrás.
parece impossível agora.

Foda.



domingo, 23 de março de 2014

num estalo

Sabe quando você, num estalo, lembra de uma música que você adorava mil anos atrás? E aí aquela música, num estalo, te lembra de milhões de coisas que você viveu e já tinha até esquecido?

Pois é, tava eu perdido assistindo velharia no Youtube quando começou a tocar uns acordezinhos familiares... a música nem chegou a tocar, mas com um pouquinho de esforço (olha a idade!) ela veio toda à memória, junto com um monte de experiências e pessoas no ano de 1993. Impressionante como eu sinto até o calor que fazia naquele ano quando eu escuto a tal música.

O curioso é que eu me dei conta que a mesma banda responsável por essa tal música é responsável por outras de 91, 92 e 94, que me levam com a mesma intensidade aos respectivos anos. Aliás, a banda por si só já tem muito a cara da primeira metade dos anos 90.

O povo da minha época talvez já tenha se lembrado. Mas se não, clica num dos links aí abaixo e descobre. Depois me conta se faz sentido pra você também. (dica: só ouve as músicas, porque os clipes são de sofrer e, acho, elas fazem mais parte é da nossa memória auditiva mesmo, não da visual).

Inté, bom domingo, boa semana.

1991    1992    1993    1994


P.S.: E o tanto que é engraçado lembrar como eu cantava essas coisas quando não sabia nada de inglês?


sábado, 22 de março de 2014

insÉste!

Eu juro que eu curto essas coisas. É sempre bom esse fio de ilusão, mesmo quando você sabe que é só ilusão mesmo -- e, principalmente, que você não é nem uma Madonna nem muito menos uma Silvia Plath. Mas tá valendo.